NOTÍCIAS

Prefeitura de Franca faz faxina para moradores de rua no prédio da Mogiana – Hertz Noticias

Compartilhar:

Na manhã de quarta-feira (6), a Prefeitura Municipal de Franca, juntamente com a empresa Seleta e equipes de Meio Ambiente e Ação Social realizaram a limpeza e retirou os moradores de rua que estavam no prédio da antiga Mogiana, no bairro Estação. O espaço já virou morada para os andarilhos que tem tirado o sossego de quem vive naquela região e não aguentam conviver com tantos furtos e usuários de drogas.

Equipes de Meio Ambiente durante limpeza do lixão deixado pelos moradores de rua no prédio da Mogina (Foto: Divulgação)

Mas o problema está longe de acabar. Após a faxina feita pela Prefeitura, os moradores de rua voltaram a ocupar o entorno do prédio, só que desta vez, com tudo limpo. Na volta, eles encontraram um ambiente bem mais agradável do que deixado pelos próprios, anteriormente.

Durante à noite, o repórter Leandro América registrou vários deles, cada um em um determinado canto e vários dormitórios improvisados, já instalados pelos andarilhos. Cobertores, colchões e até lençóis foram amarrados, formando espécies de cabanas para cada um.

Segundo Gislaine Liporoni, secretária de Ação Social, essas abordagens são feitas sistematicamente. Ao todo, 12 pessoas estão morando no local, das quais oito são da cidade e outras quatro são de outros municípios. A secretaria está trabalhando com cada um para retornarem a cidade de origem. Duas pessoas, que estão com barracas no local, foram inscritas no Projeto Moradia Primeiro e estão organizando uma casa para deixarem o espaço. Os demais, até o momento, se recusaram em participar dos serviços de acolhimento e atendimento.

A Prefeitura tem um projeto para a revitalização do prédio. Mas na primeira licitação, não houve interessados e a mesma foi considerada deserta, assim, uma nova licitação foi aberta no último dia 21 de junho e publicada no Diário Oficial do Município.

O projeto de revitalização do prédio teve atualização de valores e está orçado em R$ 3.101.004,26 e contempla a implantação de um mercado popular, centro cultural e um espaço gastronômico temático, preservando o caráter histórico desta região, além de um boulevard para a ligação do prédio a Praça Sabino Loureiro, com previsão de conclusão das obras em 12 meses.

Por enquanto, tudo não passa de projeto e continua só no papel, enquanto isso, os comerciantes e vizinhos ao prédio esperam ansiosos para saber quando as equipes de limpeza farão uma nova visita no ‘condomínio’ dos moradores de rua.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *