NOTÍCIAS

Golpe do ingresso falso faz vítimas na abertura da Expoagro

Compartilhar:

Na abertura da 51° Expoagro no Parque de Exposições Fernando Costa, em Franca, várias pessoas tiveram problemas com ingressos falsos que estavam sendo vendidos na internet, o anúncio era feito em redes sociais e grupo de conversas.

Um organizador de festas, conhecido na cidade está sendo acusado de vender ingressos falsos.

Um jovem, de 18 anos foi uma das vítimas. “Eu vi o anúncio e comprei só que ele ficou enrolando para entregar o ingresso e na hora que entregou, minha irmã entrou primeiro em contato que eu, ela comprou o pacote de ingressos do camarote Golden e quando ela foi passar nesta quinta-feira (19), ela não passou”, disse o jovem.

Uma jovem, de 17 anos comprou para todos os dias o mesmo camarote, pagou R$ 600. “Ele falou para mim que vendia os dois e que eu podia escolher tanto físico ou pelo QRcode, eu escolhi o físico por ser mais garantido… Sábado ele ficou de me levar o ingresso falou que tava para Ribeirão e não apareceu, no domingo de manhã ele sumiu o dia inteiro foi aparecer só nesta segunda-feira, então disse para ele que não quero mais o ingresso, agora  quero meu dinheiro de volta, porque ele falou que o ingresso era por QRcode, quando cheguei no Parque Fernando Costa tive a surpresa que o ingresso era falso, pra entrar tive que comprar novamente.

Milena, de 22 anos representa sua prima de São Sebastião do Paraíso-MG,  que comprou R$ 850,00 em ingressos e tinha fechado três ônibus para o show da dupla Maiara e Maraisa, quando ela descobriu que tinha caído no mesmo golpe com o mesmo acusado, ele chegou a deixar o celular para ressarcir uma parte da dívida, mas o aparelho está todo destruído.

A nossa reportagem também ouviu o acusado de vender ingressos falsos, ele também é conhecido por organizar e vender ingressos, segundo informações ele teria adquirido ingressos de um rapaz chamado Gustavo que disse que era representante da empresa que tem a licença pra vender ingressos.

Ainda segundo o acusado, ele não atende as ligações, e não estava em sua residência, após várias tentativas, o Gustavo não foi encontrado, retirando qualquer informação das redes sociais, o próprio acusado acionou a viatura da Polícia Militar, pois estava quase apanhado das vítimas, o caso foi encaminhado para a CPJ (Central de Polícia Judiciária), onde o delegado de plantão ouviu ambas as partes e liberados.

O caso será investigado pela Polícia Civil. O acusado de vender ingressos foi procurado pelo repórter Leandro América, mas não quis gravar entrevistas.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *